Cuidado: Smart TVs enviam dados privados para Netflix, Google e Facebook além do IP e localização

Cuidado: Smart TVs enviam dados privados para Netflix, Google e Facebook além do IP e localização

20 de setembro de 2019 0 Por Suporte Rede Digital

As Smart TVs são já parte de nossas casas e que é difícil de encontrar lares sem um destes dispositivos. Basicamente, são televisores para uso, mas conectados à Internet e com software que nos dá acesso a aplicativos, jogos e serviços avançados. Nesse mercado, temos vários fabricantes líderes, como Samsung ou LG, com seus próprios sistemas operacionais e, em seguida, um grupo de fabricantes que apostam na Android Smart TV para suas televisões.

Ao se conectar à Internet, muitos vêem um risco nesses dispositivos e garantem que devemos tomar precauções extremas, como fazemos com nosso computador pessoal ou com nosso telefone celular. No entanto, a Smart TV e outros dispositivos dessa Internet das coisas se tornaram os pontos mais vulneráveis ​​das redes de usuários, algo que deve começar a mudar radicalmente para evitar ataques em larga escala e outros problemas de segurança .

Smart TV envia dados privados para Netflix, Google e Facebook: IP e localização

Como se isso não bastasse, acabamos de conhecer um estudo que confirma que algumas TVs inteligentes estão enviando dados privados para empresas como Netflix, Google ou Facebook. Isso ocorre mesmo quando os dispositivos estão em espera e foram confirmados graças a duas análises de dados em grande escala.

Pesquisadores da Northeastern University, nos Estados Unidos, e do Imperial College London, no Reino Unido, foram responsáveis ​​por analisar todos esses dados. Em seus estudos, eles concluem que as Smart TVs fabricadas pela Samsung ou LG e dispositivos de streaming como Roku ou Amazon Fire TV estão enviando dados de usuários privados, como localização ou endereço IP, para a Netflix e outros.

Para mais informações, isso é feito independentemente de o usuário ter ou não uma conta Netflix . Os pesquisadores também foram capazes de verificar se outros dispositivos inteligentes, como alto-falantes ou câmeras inteligentes, enviariam dados para dezenas de empresas, incluindo Spotify e Microsoft.

Como poderia ser de outra forma, essas análises mostram o grande problema de segurança que os usuários sofrem nesses tempos de objetos hiperconectados. Além disso, espera-se uma explosão desses dispositivos dentro de casa em alguns anos, embora notícias como essa não possam fazer outra coisa senão gerar a desconfiança dos usuários por razões mais do que evidentes.

O Financial Times foi responsável pela aeração desses estudos e, no momento, não recebeu resposta de nenhuma das empresas “acusadas” diretamente pelas instituições acadêmicas responsáveis ​​por realizá-los. Atualizaremos o artigo com a resposta sobre qualquer uma das empresas.